sábado, 29 de dezembro de 2007

Capitulo 1

Perda

Felipe Roan mal podia acreditar no que via a sua frente. Tinha acabado de acordar e seus olhos ainda estavam entreabertos quando a surpresa veio. Arregalaram-se. Sangue, muito sangue no corredor. Mas o sangue não havia escorrido, era como se alguém tivesse sido arrastado, e como se mais alguém os seguisse, deixando as pegadas grosseiras no sangue. Muito sangue.

- Pai?-falou baixo, quase que inconscientemente. Era instintivo. Desde que sua mãe morrera afogada, quando o jovem Roan tinha apenas seis anos, no lago em frente à casa de sua avó, era quase que automático o balbuciar dessa palavra quando se sentia assustado - Pai?

Sentiu algo no coração. A pior sensação que já sentira. Uma pancada, um golpe, como se uma bola tivesse sido chutada contra seu peito. Segurou com força as laterais do pijama e engoliu a saliva em excesso.

Ele morava com o pai. Ele e o pai. Não havia mais ninguém além dele e do seu pai. Então se havia sangue no chão, o sangue só podia ser do seu...

- Paaaaaai? - deixou todo o ar sair dos pulmões. Paralisou e esqueceu de respirar. Ficou tonto. Lágrimas pesadas caíram. Tragou o ar fortemente e gritou – Paaaaaai?

Andava pelo corredor como se ele fosse infinito, seus pés pisavam com asco o sangue no chão e o seu corpo buscava abrigo na parede branca e fria. Escorregou e caiu com a barriga virada para baixo. Entrou em pânico, levantou-se desajeitado e saiu correndo a chamar pelo pai e nada ouvir.

O sangue estava em todo o corredor, desde a porta do seu quarto até a sala e da sala para a saída da casa. Ele abriu a porta com toda sua força e sentiu a luz do sol explodir em seu rosto. Olhou para baixo. Não havia mais sangue. Olhou pra frente e percebeu que as pessoas estavam paradas olhando para ele, completamente sujo de sangue. Virou-se e seus olhos percorreram o caminho vermelho atrás dele. O vermelho estava mais escuro agora. As paredes também, os quadros, o estofado, a mobília, tudo. Tudo ficou preto. Os sons vindos da rua ecoaram distantes e não sentiu quando o seu corpo caiu pelos quatro pequenos degraus que separavam a porta da sua casa da calçada.

Eram sete da manhã e já devia estar acordado desde as seis para ir ao colégio na hora certa. Mas o seu pai não estava ali para acordá-lo como de costume.

27 comentários:

C. disse...

conta maes!!

Gabriela disse...

conta mais ;P

Cecília disse...

contaa mais xD

reefl disse...

gostei de cada detalhe, quero as cenas do próximo capitulo.

Brunno disse...

adorei assis,
tá levando talento pra escritor, só axei q no final vc se perde um pouquinho......mas tá legal continue assim!!!

Sophie disse...

conta mais!

C. disse...

gente, tem que dizer "conta mais"!
ou "contra outra" caso vc não goste...

Laura disse...

Conta mais!! \o

asadebaratatorta disse...

Conta mais, doc. ^^

Flavitcho disse...

opa!
conta maaish!
e passa lá em divagandoeaprendendoounao.blogspot.com

\o/

não, não?!
tá!
=/

conta mais!

OLORUM disse...

Conta mais que eu quero saber que diabo de sangue é esse que tá na casa!

leo disse...

conta mais caco!! :)

Leidyanne disse...

Parabéns Caco!!
Adorei os textos!!

Bjinhosss

Méle Dornelas disse...

conta mais :)

=**

Adriana Barros disse...

Conta mais, conta mais, conta mais, conta mais!

\o/\o/\o/

Muito bom carloss!

Parabéns!!!
:)

Gabi disse...

conta mais, vá lá

caco/carlos/nigro disse...

tem gente que não consegue postar pois não tem blog, então contando aqui mais 3 "conta mais"
1º laiz-Mekinha
2º lemos
3º silvana

Soraida disse...

Fio, apesar de não gostar muito desse papo com sangue, quero saber se isso não é um sonho desse menino!! Por isso conta mais!!!

caco/carlos/nigro disse...

mais uma pessoa sem blog comenta:
conta mais!
by patrícia

C. disse...

duas coisas:
libera o comentário pra quem não tem blog.
aliás, acho que mermo do jeito que tá, é só estar logado no orkut, q o coment entra.
diminui a quantidade, criatura. se demorar demais, morga!
=***

Maria Helena disse...

Continue...

Luana disse...

CONTA MAAAAIS! :D

babi, disse...

conta mais ;)

Diadorim disse...

conta mais!

Letícia # disse...

conta mais !!!
eu tbm era assim | na realidade sou , eu começo e não termino minhas histórias , perco o estímulo isso é bem chato , mas curti tua história e teu jeito de contar - las no blog !

Sorvete Sortido disse...

Ounwww*---* seu blog é muiiito fofo...adorei muito e já to seguindo*----* Eu queria pedir pra quando vc puder dar uma olhadinha no meu blog o http://sorvetsortido.blogspot.com *--* se gostar comenta lá! beijoooos*---------------------*



AAAH....conta mais*----*

Carol Carvalho disse...

conta mais